segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Prefeitura de Pau Brasil protocola na Câmara de Vereadores projeto de lei complementar da Guarda Civil Municipal

A Prefeitura de Pau Brasil, através do chefe gabinete, senhor Fernando Quá, acompanhando dos Guardas Municipais Alane Ribeiro, Jones, Roberto Carregosa e Lula, protocolaram na manhã desta segunda-feira (11), na Câmara de Vereadores o projeto de lei complementar que cria a Guarda Civil Municipal de Pau Brasil. 
A mensagem do projeto de lei, assinada pela prefeita Barbara Suzete (PSD), destaca entre as atribuições da Guarda Civil Municipal, prestar serviço de segurança das instalações públicas locais, bens de uso comum do povo, permitindo que os munícipes possam usufruir de tais ambientes com segurança.
Na Câmara, antes de entrar na pauta de votação, o projeto deverá passar por análise das comissões.
Entre as atribuições é necessário destacar a segurança a ser realizada em unidades escolares, cuja presença ostensiva da Guarda Municipal certamente contribuirá para o afastamento de possíveis delinquentes, usuários ou vendedores de drogas e acompanhar em tempo real o monitoramento da cidade, que será implantado nos próximos dias.
Também estão entre as competências da Guarda Municipal planejar, coordenar e desenvolver atividades de proteção de bens, serviços e instalações do município, atuando em colaboração com os órgãos estaduais e federais mediante solicitação, dar apoio a agentes de fiscalização de posturas, tributos, sanitária, saúde, meio ambiente e outros serviços; atender a população em eventos danosos em auxílio à Defesa Civil; contribuir na segurança escolar; atuar em sintonia como agentes de trânsito.
O comando e direção serão exercidos por um Guarda Municipal de carreira. Também serão criadas Corregedoria e Ouvidoria.
O projeto de lei também prevê fixação de regras específicas de ingresso por meio de concurso público como prova de conhecimento escolar, teste de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica, pesquisa social e curso de formação profissional.

domingo, 10 de dezembro de 2017

SINDGUARDAS-BA, reúne com prefeita de Pau Brasil e conquista regulamentação da Guarda Municipal

A diretoria do Sindicato dos Guardas Civis Municipais do Estado da Bahia (Sindguardas-BA), composta por Pedro de Oliveira Santos, Presidente, Delmo Souza e Ailton Barboza diretores e o procurador Dr. Eider, participaram de uma reunião na tarde desta sexta-feira (08), com a prefeita de Pau Brasil, Barbara Suzete (PSD), o chefe de Gabinete, Fernando Quá e o procurador do município Dr. Zacarias. Participaram da reunião uma comissão de representantes da Guarda Municipal, composta por Alane Ribeiro, Beto Carregosa, Jones, Lula e Ricardo.
Na reunião, foi discutido a minuta que trata da regulamentação da Guarda Municipal de Pau Brasil, e a aplicabilidade adequando a Lei 13.022 de 2014. Na oportunidade foram discutidos já a separação do PCCS da Guarda do quadro geral dos servidores, ficando mesmo exclusivo da categoria.
Após pontuar toda minuta, a prefeita e todos que participaram da discussão assinaram a minuta para que possa encaminhar para câmara de vereadores da cidade.
A prefeita Barbara falou da importância da regulamentação da categoria. “É uma alegria muito grande em relação a esse projeto, podemos falar que vai ser muito bom para comunidade, pois todos eles precisam desse momento e do fardamento para fazer um bom trabalho, já fazem bem, mais vai melhorar muito, qualquer pessoa que chegar na cidade será bem recepcionado e terá a sensação de segurança e vai dizer que a cidade é bem organizada e é uma alegria para o gestor enquanto mulher”. A prefeita ainda enalteceu o empenho do sindicato da categoria. “O diálogo com a categoria é muito importante, estamos avançando, e essa foi uma das minhas promessas de campanha, pois prometi a Lula e Alane que lutaríamos para ter uma Guarda Civil eficiente, zelando pela segurança dos cidadãos e do patrimônio da cidade”. Concluiu a prefeita Barbara.
O presidente do Sindguardas-BA, Pedro de Oliveira, destacou que a prefeita Barbara mostrou como se faz uma boa gestão para o servidor público, e para sociedade pau-brasilense, que tanto vem a ganhar com essa regulamentação. “Muitos passaram por aqui e não fez a legalidade como tem que ser. Com essa conquista, a prefeitura prova que é aberta ao diálogo com o sindicato da categoria e mostra que tem uma equipe preocupada com a comunidade”. Finalizou Pedro de Oliveira.

Sindguardas-BA, conquista regulamentação da Guarda Municipal de Pau Brasil

                    

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Caminhoneiro é condenado a 22 anos de prisão por estupro e morte de adolescente em Teixeira de Freitas

O caminhoneiro Ismael de Jesus Morais, 31 anos, foi condenado a cumprir 22 anos e seis meses de prisão em regime fechado pelo estupro e morte da vizinha Cassiane Lima dos Santos, 15 anos, em 2014. O julgamento, que começou nesta segunda, 4, e durou cerca de 17h, foi concluído na madrugada desta terça-feira, 5. Ele também teria escondido o corpo da adolescente.

O crime aconteceu no dia 27 de novembro de 2014, quando a jovem foi dada como desaparecida. O corpo de Cassiane foi encontrado, no dia 2 de dezembro, enterrado nas imediações da BR-101, a 32 km de Teixeira de Freitas. Ismael foi preso no mesmo dia que o corpo da adolescente foi localizado. A vítima dormia quando foi atacada pelo homem. Ele aproveitou a saída dos pais da vítima para entrar na casa e atacar.

Após a prisão do homem, a perícia encontrou fios de cabelos semelhantes aos da vítima no porta-malas do carro que ele usou para transportar o corpo de Cassiane até o local onde a enterrou. O ex-funcionário de uma distribuidora de bebidas de Teixeira já tinha passagens pela polícia por estuprar uma menina de 13 anos em 2007, no município de Prado. Ele também já roubou um carro. //A TARDE

Mulheres trabalham duas vezes mais do que homens em casa, aponta IBGE

Imagem relacionada
Mais de 80% dos brasileiros com 14 anos ou mais de idade fazem algum tipo de tarefa doméstica em casa ou na casa de algum parente, o equivalente a 135,5 milhões de pessoas. Mas as mulheres permanecem mais sobrecarregadas nesse tipo de função do que os homens.

Enquanto 89,8% das mulheres realizavam atividades domésticas, esta proporção era de 71,9% entre os homens. O tempo dedicado a esses serviços também mostrou diferença entre os sexos. A média de horas dedicadas ao serviço doméstico no Brasil era de 16,7 horas por semana, mas as mulheres trabalhavam duas vezes mais que os homens em casa, 20,9 horas semanais, em média, contra apenas 11,1 horas para os homens.

"A mulher faz tudo na casa, e o homem faz pequeno reparo. É basicamente isso", resumiu Alessandra Brito, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. "Há uma diferença grande entre homens e mulheres. A única atividade que os homens fazem mais do que as mulheres é consertar um chuveiro, trocar uma torneira, algum pequeno reparo no domicílio", acrescentou.

Entre os tipos de afazeres domésticos, os homens só ganharam das mulheres no quesito pequenos reparos ou manutenção do domicílio, de automóvel, de eletrodomésticos ou outros equipamentos. Entre os homens, 65% se dedicaram a esse tipo de tarefa, contra 33,9% das mulheres.

Em todos os outros, elas se dedicaram em maior proporção do que eles: preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar louça (58,5% dos homens, 95,7% das mulheres); limpeza ou manutenção de roupas ou sapatos (55,7% dos homens, 90,8% das mulheres); limpar ou arrumar a casa, garagem, quinta ou jardim (67,3% dos homens, 77,9% das mulheres); cuidar da organização da casa, como pagar contas, contratar serviços e orientar empregados (69,0% dos homens, 71,3% das mulheres); fazer compras ou pesquisar preços de bens para a casa (68,2% dos homens, 76% das mulheres), e cuidar dos animais domésticos (37,5% dos homens, 42,4% das mulheres).

Os homens brancos (73,9%) faziam tarefas domésticas em maior proporção do que os pretos (73,0%) e pardos (69,8%), enquanto que essa tendência se invertia entre as mulheres brancas (89,1%), pretas (90,9%) e pardas (90,3%). A pesquisa não cruzou os dados com informações sobre a renda da população, mas pesquisadores do IBGE acreditam que as diferenças possam ter explicação no grau de escolarização ou em características regionais e culturais.

"Talvez a mulher branca com mais renda possa pagar alguém para fazer esse tipo de serviço para ela. O homem branco talvez por conta de uma escolarização mais elevada tenha mais consciência da necessidade de fazer mais afazeres domésticos", disse Alessandra.

"Pode ter também uma influência regional, econômica, escolaridade, cultura local", completou Maria Lucia Vieira, gerente da Pnad.

Embora as mulheres ainda cuidem da casa e da família em maior proporção e por mais horas, a participação dos homens aumentou em relação à apuração de pesquisas anteriores. Não há dados comparáveis, por conta de uma mudança na metodologia em relação à Pnad anual, mas um aperfeiçoamento na coleta ajudou a medir com mais precisão algumas tarefas domésticas que antes passavam despercebidas aos entrevistados e que muitas vezes são feitas por homens.

"Se eu perguntar se você faz tarefa doméstica sem dizer que isso inclui botar o lixo para fora e levar o cachorro para passear, você diria que você faz serviço doméstico? Mesmo que você não lave a louça, não faça comida, nada disso?", justificou Maria Lucia.

"A mulher já sabia que fazia afazeres domésticos. O homem descobriu que também faz", explicou Alessandra Brito.

Do total de 166,7 milhões de brasileiros com 14 anos ou mais, 26,9% atuaram ainda no cuidado de moradores do domicílio ou de parentes, o que correspondia a 44,9 milhões de pessoas. Enquanto 32,4% das mulheres realizaram atividades de cuidado, entre os homens a proporção foi de 21,0%.


Em 2016, 49,6% dos que realizaram esse tipo de atividade cuidaram de crianças de 0 a 5 anos de idade, enquanto 48,1% deles foram responsáveis por crianças de 6 a 14 anos de idade.

Polícia resgata animais silvestres mantidos em cativeiro e prende dois

A Polícia Civil do Piauí deflagrou, na manhã desta quinta-feira (7), a operação Ártemis, efetuando a prisão de duas pessoas pela prática de crimes ambientais, no município de Capitão de Campos, distante 144 km de Teresina.
A operação foi realizada em conjunto por equipes do 1º DP, do 2º DP e da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) de Piripiri, sob o comando dos delegados Jorge Terceiro, Ricardo Oliveira e Lucivânia Vidal.

De acordo com o delegado Jorge Terceiro, foram localizados vários catitus, raposas, onças pardas, jabutis, tatus, gato Maracajá, e diversas aves silvestres. "Há cerca de um mês estávamos realizando as investigações. O resultado foi a operação deflagrada hoje pela manhã. Até o momento duas pessoas foram presas e dezenas de animais silvestres foram apreendidos", afirmou o delegado.
Segundo o delegado Ricardo Oliveira, a operação ocorreu em duas frentes, sendo a primeira na zona urbana da cidade de Capitão de Campos e a segunda na zona rural, mais precisamente num sítio localizado no povoado Montes.
O proprietário chegou a empreender fuga, mas foi interceptado pela Polícia Rodoviária Federal na altura do município de Campo Maior.

Segundo a delegada Lucivania Vidal, os animais foram encontrados em situações degradantes. "O estado dos animais é deprimente. Alguns estavam presos em cubículos, e a onça parda sofreu visíveis maus-tratos, tendo sido extraídas as presas do animal. Além disso, obtivemos a informação de que, há pouco tempo, outra onça também mantida em cativeiro no sítio acabou morrendo", detalha a delegada.

Os suspeitos foram autuados em flagrante pelo crime de manter animais silvestres em cativeiro, com o agravante de que muitos deles são de espécies ameaçadas de extinção.

Nome da operação foi inspirado na mitologia grega


O nome da operação - Ártemis - é uma referência à deusa protetora da vida selvagem, dos animais e da caça. Era filha de Zeus com a deusa Leto e irmã gêmea de Apolo. //portalodia

Prefeito de Ilhéus proíbe baianas de fritar acarajé na Orla Marítima Sul do Município

Resultado de imagem para Decreto do prefeito ‘Marão’ proíbe baiana de fritar acarajé nas praias de Ilhéus
Acarajé na praia só se for cru ou frio, é o que determina o decreto 132 que estabelece normas de utilização da Orla Marítima Sul do Município de Ilhéus, divulgado no diário Oficial da última quarta-feira (29/12). O decreto proíbe desde o preparo e manipulação de alimentos na área da Orla, até a utilização de barraca de camping, balcão, bancas ou similares, fogões ou fogareiros, churrasqueiras e/ou assemelhados. Os turistas se quiserem provar dos quitutes da Baiana, patrimônio Nacional segundo o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) terá que comer o acarajé frio ou se deslocar para Orla Norte. //O Tabuleiro

Em seu primeiro discurso na tribuna da Câmara, Tiririca renuncia cargo de deputado

O deputado Tiririca, após sete anos como deputado federal, finalmente usou as tribunas da Câmara para realizar o seu primeiro discurso nesta quarta-feira (06).  Além de primeiro, este acabou sendo o último discurso do político, já que nele, o deputado afirmou que se decepcionou com a vida de parlamentar e decidiu renunciar ao cargo. “Subo pela primeira vez e a última (à tribuna). Estou saindo triste para caramba, estou muito chateado mesmo com o Parlamento. Não fiz muita coisa, mas pelo menos fiz o que fui pago para fazer. O que vi nestes sete anos saio com vergonha. Mas gostaria que vocês – só um pedido de gente, de povo – olhassem mais para o povo. Nem todos os 513 trabalham. É vergonhoso: ando de cabeça erguida porque tenho coragem, mas muitos de vocês andam disfarçados. Já vi deputados envergonhados. A gente é bem pago, R$ 23 mi limpos, tem apartamento, mordomia. Não fiz nada, mas o pouco que eu fiz, fiz de cabeça erguida. É vergonhoso, é uma vergonha.”, disse Tiririca em seu primeiro e último discurso nas tribunas. Lembrando que ele foi eleito como deputado pela primeira vez em 2010 sendo o mais votado entre todos os deputados do Brasil. Em 2014 ele voltou a ser eleito e foi novamente muito bem votado.

Bandidos matam menina de 10 anos após não achar irmão da criança

Uma menina de 10 anos foi morta no início da noite desta quarta-feira, 6, após levar um tiro na barriga. O caso aconteceu na rua Léo Virgílio Lacerda, dentro da casa onde Aryana de Jesus Viena morava, no conjunto Liberdade, em Feira de Santana (a 109 quilômetros de Salvador). A criança chegou a ser socorrida para o Hospital Estadual da Criança (HEC), mas não resistiu ao ferimento. 
Segundo informações, cerca de quatro homens entraram na residência a procura do irmão de Aryana. Como não encontraram o rapaz, identificado pelo prenome Rafael, eles atiraram na irmã dele. O corpo da vítima foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT). //Acorda Cidade
Loading...